Você está vivendo um Amor Platônico? 5 Dicas para Descobrir e Superar

Se você já parou para se perguntar o que é amor platônico ou se está vivendo um, não se assuste, você está no caminho certo.

É importante saber identificar que tipo de sentimento você está vivendo e se faz sentido continuar ou não.

Pelo menos uma vez na vida alguém já sentiu ou ouviu falar dele. Mas, afinal, o que é isso? Qual é o significado de amor platônico?

A primeira definição da expressão veio da antiguidade. Segundo Platão, filósofo grego, o amor é essencialmente puro e se baseia na virtude, sem interesse.

É como se fosse algo para além do que podemos ver, se trata de sabedoria, como algo espiritual, muito além do físico. Para ele, o amor é desprovido de paixões, pois essas são cegas, materiais, efêmeras e falsas.

Atualmente a variação da expressão passou a significar um amor não correspondido, impossível e feito de idealizações.

Sabe aquela pessoa que você nunca trocou se quer uma palavra e, na sua mente, você vive criando histórias de amor e um futuro incrível? Então, é exatamente isso.

A importância de identificar se você está vivendo um amor platônico

Saber diferenciar a realidade da fantasia é extremamente importante para não ficar apenas sonhando e esquecer de viver o mundo real.

Um amor de fantasias, muitas vezes, pode ser bonitinho na teoria, mas, na prática, pode desencadear sérias frustrações e até fazer mal para sua saúde.

Confira algumas dicas para identificar se você está vivendo um amor platônico:

1. A pessoa está fora do seu alcance

Se apaixonar por alguém que está fora do seu alcance é normal, calma. Que menina na fase da adolescência não era louca de amor e jurava que iria se casar com o Justin Bieber ou até mesmo com um dos Jonas Brother’s?

Esse é o tipo de amor que está totalmente fora do seu alcance e só existe em uma realidade paralela que você mesmo criou. Afinal, você nunca teve um date com o Joe Jonas para saber que ele é o amor da sua vida, correto?

Quando isso se transfere para alguém do seu cotidiano é um pouco mais complicado. Se a pessoa na qual você está interessada é comprometida, é uma pessoa conhecida, mas que interage nas redes sociais com você ou é uma pessoa que você só viu uma vez na vida, pode ser seu amor platônico.

Dica: Sair para conhecer pessoas novas e estar aberto para novas possibilidades é extremamente importante para não viver idealizando a vida com alguém impossível.  Conheça e se relacione com pessoas reais e que estão na mesma vibe que você.

2. Medo de tomar a iniciativa

O medo de tomar a iniciativa está diretamente ligado com o medo da rejeição. Falar sobre sentimentos nunca foi uma tarefa fácil, principalmente quando você precisa dizer para a pessoa amada tudo o que estava guardado no seu coração há tanto tempo.

Se não tomarmos a iniciativa, como a outra pessoa saberá dos nossos sentimentos? Isso pode fazer com que, de fato, esse relacionamento nunca aconteça.

 Quando escondemos o que sentimos pelo outro isso pode ser extremamente corrosivo. Se o amor é o sentimento mais puro e digno de reconhecimento, por que esconder?

Quando o sentimento da outra pessoa não for recíproco, tudo bem, acontece. Falar é libertador. Você precisa ter a consciência de que o primeiro passo você tomou. Agora é deixar com a outra pessoa e se manter tranquilo.

Dica: É melhor sofrer e ter a resposta agora do que prolongar a dor do “e se…?”. Pelo menos, se a resposta do outro for negativa, você conseguirá seguir em frente mais rápido.

3. Medo do fim de um ‘amor perfeito’

Quando idealizamos uma pessoa ou um sentimento perfeito na nossa mente é difícil aceitar que, na realidade, não é e nunca será bem assim.

Claro que é muito importante termos em mente tudo o que gostaríamos que o nosso futuro(a) parceiro(a) tivesse, mas também é importante lembrar que ninguém é perfeito.

O medo de identificar que aquele sentimento ou pessoa só existe na nossa cabeça e, consequentemente, acabar com a ilusão, é doloroso. Exatamente por isso muitas pessoas preferem evitar ver a realidade apenas para continuar acreditando na utopia.

Dica: Estar sempre atento e ser crítico com os outros é muito importante para entendermos a vida real.

É importante colocar todos os prós e contras de uma pessoa ou relação em uma balança e saber identificar cada um deles para convivermos da melhor forma possível com as pessoas reais.

4. Ter medo de sofrer e se decepcionar

Na vida, todos estão suscetíveis a sofrer por amor em algum momento da vida. Relacionamentos reais são difíceis, necessitam de tempo, amor, cumplicidade, fidelidade, amizade, carinho, respeito e muitas outras coisas.

Mas o medo do sofrimento e da decepção de um relacionamento real faz com que o amor platônico seja uma forma de escapar dessas possíveis frustrações.

Dica: Todo mundo ao seu redor já sofreu ou vai sofrer por amor em alguma etapa da vida. Porém, não podemos criar muros e nos blindarmos de viver sentimentos reais por medo da dor. Se você sente dor, isso significa que você está vivo e isso é louvável.

O que devemos fazer, nesses casos, é descartar todas as pessoas que já nos fizeram sofrer e deletá-las de nossas vidas.

Devemos dar chance apenas para o que for puro, verdadeiro e sincero. Esse tipo de amor pode demorar, mas pode ter certeza que ele vai aparecer!

Calma, um amor platônico tem solução

Depois de todas essas dicas, espero que você tenha entendido um pouco mais sobre o assunto e consiga identificar se esse tipo de sentimento acontecer com você e até mesmo com pessoas próximas e, se necessário, até tentar tirar alguém dessa situação.

Gostou? Então que tal sair um pouco da sua zona de conforto e conhecer pessoas novas? Além disso, se permita amar sem medo e sem barreiras. Se joga! Curte a vida! Os amores reais são os mais incríveis e possuem as melhores histórias.

Deixe um comentário